Psy

"Só algumas pessoas escolhidas pela fatalidade do acaso provaram da liberdade esquiva e delicada da vida" "Sou como você me vê. Posso ser leve como uma brisa, ou forte como uma ventania, depende de quando e como você me vê passar" "Clarice Lispector"

15.8.06

Dia dos Pais

.
Uma das coisas que lembro da minha infância (a criança vê, sente, mas a mente só lembra a partir de uma certa “idade”), foi o dia que descobri que o homem que chamava de pai, não era meu pai. Ele teve a opção ser ou não o meu “pai” e fez a sua escolha. Respeito a sua decisão.

O primeiro presente (que fiz) serviu para “consolidar” a condição de órfã.
Era uma meia marrom... (minha cor preferida).
Fiz um cartão (com cartolina), desenhei algumas flores e escrevi: “Obrigada por você ser meu Pai”.
A meia estava dentro do cartão, selado e amarrado com uma fita de presente.
Quando entreguei para ele, não tive tempo de dizer “Feliz dia dos Pais”, antes de ver o cartão cair (rasgado em pedaços) aos meus pés.
Ele falou:
- Estava precisando de um lenço, você me dá um par de meias!

Essa foi a primeira e última vez que vivi um “Dia dos Pais”.

A falta é somente o vazio do que não se vive.
Melhor ser órfã de pai vivo, do que sofrer a perda de um bom pai.
Mesmo que isso nos impeça da conhecer o amor de pai.
Por isso, neste dia, agradeço a minha mãe que foi e ainda é (felizmente) a minha mãe, o meu pai.
.
.
A partir do terceiro ano na escola, conheci a "chatice"
da obrigatoriedade de escrever sobre
"O Dia dos Pais”, "Férias", "Dia das Crianças", "Natal e Ano Novo".
Isso não foi tão ruim assim, pois que aprendi a "sonhar".
Escrevia não o que eu vivia, mas o que gostaria de ter "vivido".
.

1 Comments:

Blogger lua_AZUL59 diz...

É verdade!
Pai não é só nome, não é só quem gera...
Pai é sobretudo
AMOR...
Educador,Companheiro, confidente...
...o meu melhor amigo!!
Como seria bom que todos os PAIS de todo o mundo fossem assim...
Teríamos um mundo mais justo...
Certamente nem ntávamos as "chatices"...
...e o SONHO...era a própria
REALIDADE!!!

bjs

da amiga Lua Azul

1:57 PM  

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home

No amor, nem sempre são as faltas o que mais nos prejudica, mas sim a maneira como procedemos depois de as ter cometido. "Oví­dio"