Psy

"Só algumas pessoas escolhidas pela fatalidade do acaso provaram da liberdade esquiva e delicada da vida" "Sou como você me vê. Posso ser leve como uma brisa, ou forte como uma ventania, depende de quando e como você me vê passar" "Clarice Lispector"

3.11.06

Sonata de Amor Perdido



Onde estão os teus olhos – onde estão? – Oh – milagre de amor que escorres dos meus olhos!
Na água iluminada dos rios da lua eu os vi descendo e passando e
fugindo. Iam como as estrelas da manhã.
Vem, eu quero os teus olhos, meu amor!
A vida...sombras que vão e sombras que vêm vindo
O tempo... sombras de perto e sombras na distância – vem, o tempo quer a vida!

Onde ocultar minha dor se os teus olhos estão dormindo?
Onde está tua face?
Eu a senti pousada sobre a aurora
Teu brando cortinado ao vento leve era como asas fremindo
Teu sopro tênue era como um pedido de silêncio – oh, a tua face iluminada!
Em mim, mãos se amargurando, olhos no céu olhando, ouvidos no ar ouvindo
Na minha face o orvalho da madrugada atroz, na minha boca o orvalho do teu nome!
Vem...
Os velhos lírios estão fanando, os lírios novos estão florindo

Vinícius de Moraes



1 Comments:

Blogger falcão peregrino diz...

olá
vinicius claro
gosto muito
psy seu blog é lindooooooooooooooo
1 bjo

10:04 PM  

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home

No amor, nem sempre são as faltas o que mais nos prejudica, mas sim a maneira como procedemos depois de as ter cometido. "Oví­dio"