Psy

"Só algumas pessoas escolhidas pela fatalidade do acaso provaram da liberdade esquiva e delicada da vida" "Sou como você me vê. Posso ser leve como uma brisa, ou forte como uma ventania, depende de quando e como você me vê passar" "Clarice Lispector"

7.9.07

Hula Dancer at Sunset, Oahu, Hawaii © Lonely Planet Images


"Amor, alegria e paz são estados profundos do SER, ou melhor, três aspectos do Ser Espiritual. Assim, não possuem opositores pela simples razão de que surgem da sua essência.
As emoções, por outro lado, sendo uma parte da mente dualística, estão sujeitas à lei dos opostos. Isso quer dizer, simplesmente, que não se pode ter o bom sem que haja o mau.
Portanto, numa condição de auto engano e inconsciência, aquilo que algumas vezes é erroneamente chamado de alegria é o lado geralmente breve do prazer, dentro da alternância contínua do ciclo sofrimento/prazer.

O prazer sempre se origina de alguma coisa externa a nós, ao passo que a alegria nasce do nosso Ser Espiritual. A mesma coisa que proporciona prazer hoje provocará sofrimento amanhã, ou nos abandonará, e essa ausência causará sofrimento. Do mesmo modo, o que se costuma chamar de amor pode ser prazeroso e excitante por um tempo, mas é um apego adicional, uma condição de necessidade extrema, que pode vir a se transformar no oposto, em um piscar de olhos. Muitas relações "amorosas", passada a euforia inicial, oscilam entre o "amor" e o ódio, a atração e a agressão.

O amor verdadeiro não permite que você sofra. Como poderia? Não se transforma em ódio de repente, assim como a verdadeira alegria não se transforma em sofrimento.
Antes de atingirmos a iluminação, antes mesmo de nos libertarmos da influência nefasta do Lado Escuro, podemos ter lampejos de alegria autêntica, de um amor verdadeiro ou de uma profunda paz interior, tranquila mas intensamente viva.
Esses são os aspectos da nossa verdadeira natureza, em geral obscurecida pelo Lado Escuro. Mesmo dentro de uma relação "normal" de dependência, é possível haver momentos onde podemos sentir a presença de algo genuíno, incorruptível.
Mas serão somente lampejos, a serem logo encobertos pela interferência do Lado Escuro. Você poderá ficar com a impressão de que teve alguma coisa muito valiosa mas a perdeu, ou a sua inconsciência pode lhe convencer de que tudo não passou de uma ilusão.

A verdade é que não foi ilusão e você também não perdeu nada. Esse algo valioso é parte de seu estado natural - pode estar encoberto, mas nunca ser destruído pelo
Lado Escuro.

Mesmo quando o céu está totalmente coberto, o Sol não desapareceu.
Ainda está lá, por trás das nuvens.
Exatamente como o seu DIAMANTE."



Texto extraído e adaptado do livro O PODER DO AGORA, de Eckhart Tolle


1 Comments:

Blogger belakbrilha diz...

Um texto que agora com os neurónios meio "Ziguezaguiados" como andam , ainda os coloca pior!

Ou talvez não!...
Fez-me pensar que esta vida é mesmo isto!!!

beijos

10:40 AM  

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home

No amor, nem sempre são as faltas o que mais nos prejudica, mas sim a maneira como procedemos depois de as ter cometido. "Oví­dio"