Psy

"Só algumas pessoas escolhidas pela fatalidade do acaso provaram da liberdade esquiva e delicada da vida" "Sou como você me vê. Posso ser leve como uma brisa, ou forte como uma ventania, depende de quando e como você me vê passar" "Clarice Lispector"

13.2.07



Se tu viesses ver-me hoje à tardinha,
A essa hora dos mágicos cansaços,
Quando a noite de mando se avizinha,
E me prendesses toda nos teus braços...

Quando me lembra: esse sabor que tinha
A tua boca... o eco dos teus passos...
O teu riso de fonte... os teus abraços...
Os teus beijos... a tua mão na minha...

Se tu viesses quando, linda e louca,
Traça as linhas dulcíssimas dum beijo
E é de seda vermelha e canta e ri

E é como um cravo ao sol a minha boca...
Quando os olhos se me cerram de desejo...
E os meus braços se estendem para ti...
Florbela Espanca









Ninguém me entendia. Agora me entendem. A que você atribui isso? Eu não sei... que eu saiba não fiz concessões. Clarice Lispector



3 Comments:

Blogger belakbrilha diz...

Florbela Espanca!!!

Alguém que eu gosto muito de ler!

Hoje foi mais um dia que eu necessitei de estar aqui!...

...porque me transmite paz!

Bigada por isso!!

Bjs

7:56 PM  
Blogger Psy diz...

Olá menina...
Sinto que estas um tanto triste.
Bem, seja como for, saiba que tudo na vida passa...
A dor não é para sempre, assim como a alegria.
Um dia vem, a noite chega e logo depois, o sol volta a brilhar.
Que você possa passar por estes "ciclos" naturais de forma branda e inteira.
Mas, se acontecer de "rachar", o tempo cuida para colocar tudo no lugar.
Beijo grande, querida.
Cuide-se bem... a gente gosta muito de você...
Maria José (Psy)

9:50 AM  
Blogger Psy diz...

Este comentário foi removido pelo autor.

9:50 AM  

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home

No amor, nem sempre são as faltas o que mais nos prejudica, mas sim a maneira como procedemos depois de as ter cometido. "Oví­dio"