Psy

"Só algumas pessoas escolhidas pela fatalidade do acaso provaram da liberdade esquiva e delicada da vida" "Sou como você me vê. Posso ser leve como uma brisa, ou forte como uma ventania, depende de quando e como você me vê passar" "Clarice Lispector"

1.3.08

Desejo para você...

.
.




O que desejo para você



Desejo-lhe a alegria de ter sempre alguém com quem compartilhar as coisas.
Desejo-lhe que às vezes, só às vezes, você possa comprar algo pelo qual vem ansiando, e não qualquer coisa que o substitua.
Desejo-lhe boas memórias suficientes para acompanhá-lo nas épocas de crise.
Desejo-lhe uma das melhores pequenas alegrias: abrir um livro que lhe traz boas lembranças, sentir a textura de suas páginas, reconhecer suas primeiras palavras...
Desejo-lhe a felicidade de encontrar o presente perfeito para pessoa que você ama.
Desejo-lhe a chegada da primavera – o assombro que é sempre melhor do que você ousou esperar.
Desejo-lhe a felicidade de ganhar um presente de uma criança:
- Um buquê de flores murchas
- Uma bala macia
- Um sapo
- Um beijo





QUE VOCÊ POSSA SEMPRE


Abrir a porta de casa e correr até o telefone antes que ele pare de tocar.
Dizer a coisa certa ao garçom que serve o vinho.
Lembrar de fechar o zíper.
Ter dinheiro para chegar em casa.
Ser necessário para alguém.
Encontrar uma moeda útil no forro do bolso.
Se espantar com suas próprias habilidades.
Descobrir que dentro daquele feio envelope marrom há um recibo.
Apaixonar-se pela realidade, não por ilusões.
Encontrar exatamente a resposta certa
— sucinta, memorável, soberba
— na hora certa, e não meia hora depois.




QUE VOCÊ NUNCA



Chegue ao correio depois de fechado.
Comece a aplaudir no final do

Segundo movimento.
Se atrapalhe no uso correto dos talheres
Descubra que o show para o qual tinha comprado ingressos foi ontem.
Vá a um restaurante fino com sapatos Inadequados.
Perca o cartão de crédito.
Tenha uma televisão que pife.
No momento crucial.

Ganhe um vaso com uma planta que morra exatamente um dia antes da visita daquela amiga que a deu de presente.
Esqueça a lista de compras na mesa da cozinha.



FORÇA E CORAGEM

Se eu tivesse o poder de formular um desígnio para você, teria muita dificuldade em decidir qual seria — que dom ajudaria a fazê-lo feliz.
A beleza é perigosa, a sabedoria precisa ser adquirida, o amor é uma opção sua.
Mas, no final, tenho certeza de que escolheria o melhor presente de todos — a coragem.
Que você nunca compre “amor” ao preço de se tornar um capacho.
Que você sempre encontre exatamente as palavras certas para colocar os indivíduos provocadores no lugar certo — e força suficiente nas pernas para dar as costas com dignidade.
Que você tenha sempre um coração amoroso e bom senso.
Doar traz grandes felicidades. Mas doar infinitamente pode secar sua mente e seu coração.

Aprenda a receber um pouco — mesmo que seja um momento no jardim, em uma galeria, em um restaurante.
Valorize esses momentos.

Deixe que os pássaros, sapos e quadros, a música, os livros e amigos pouco exigentes o resgatem.
As pessoas precisam de alimento.




DESEJO-LHE A ALEGRIA



De ver sua bagagem intacta aparecer na esteira rolante do aeroporto.
Receber uma carta de alguém cujo endereço você perdeu.

Ver a expressão de alguém se iluminar quando você aparece. Saber que você é necessário.
Encontrar o presente perfeito.

O carro pegar da primeira vez quando o possível comprador o experimenta.
Ver o gato fujão aparecer no portal de casa.
O cheiro de terra, quando se está em alto-mar.
Um bando de gansos voando baixo sobre nossa cabeça, gritando.
Aviões fazendo acrobacias em um dia de verão.
Lençóis secando ao sol.
Burros.
O amanhecer no meio do oceano.
A pessoa certa percebendo exatamente quem é você por dentro — e amando-o por isso.
Tirar aquele sapato apertado. A visão da pessoa amada no final da plataforma.
Nozes de pistache.
Renoir.
Descobrir que, afinal, você não jogou no lixo a carta do seu amigo junto com os papéis de presente do aniversário.
Andar na chuva.

Porcos.
Se pudesse, eu passaria com você todos os momentos terríveis quando a
Felicidade Dá Errado.




NÃO LHE DESEJO



O bolo que cresce, dourado e majestoso — e murcha bem diante dos seus olhos.
- O pássaro raro em uma árvore distante que — quando você olha de binóculos — acaba se revelando apenas um pedaço de pano velho.
- O telefonema tão esperado que era engano.
- O envelope que revela que você ganhou um mês no Caribe — mas, na segunda leitura, reduz-se a um cruel truque de propaganda de uma empresa.
- O semblante que se ilumina quando vê você, mas que é dirigido a alguém que está bem atrás de você.
- O brilho no meio-fio que acaba se revelando a tampa de um vidro de remédio.
- O pulôver de etiqueta famosa comprada naquela liquidação que, quando você examina bem, está com uma mancha de tinta nas costas.
- O par de sapatos perfeito da liquidação que é um número menor.
- As sementes que florescem — e revelam-se ervas daninhas.
- O perfume caro que cheira a cachorro sujo.
- O buquê de botões de rosa que morrem antes de abrir.

- O programa de televisão que você espera até a meia­noite para ver apenas para descobrir que é uma reprise.
- O filme do piquenique que volta em branco.
- A encomenda entregue no endereço errado.
- O amor mútuo que acaba sendo unilateral.



AMIGOS


Espero que sempre haja espaço na sua vida para outro amigo.
Desejo-lhe cartas: escritas em uma letra que você reconhece de imediato; escritas em uma letra que você não vê há anos; escritas em uma letra que você não conhece.
Desejo-lhe cartas cheias de elogios, repletas de coragem; cartas de agradecimento e amor.
Desejo-lhe cartas de desculpa de fabricantes — com prêmios inesperados.
Desejo-lhe cartas que começam da seguinte forma: “Temos o prazer de lhe informar que...”.
Desejo-lhe cartas com selos estrangeiros e cabeçalhos interessantes.
Desejo-lhe cartas sujas, manchadas de tinta, em letras quase ininteligíveis, borradas de beijos.




DESEJO-LHE A ALEGRIA DAS ÁGUAS


Rio de águas calmas; riacho silencioso e raso.
As bolhas de uma fonte passando pelos ramos de violeta.
O ruído dos córregos na floresta.
O rumor da catarata.
O esguicho da mangueira do jardim.
O brilho da água que passa sobre a pedra.
Poças d’água cheias de folhas de carmim.
Ondas sólidas quanto vidro, a espuma navegando nas vagas.
O ruído da água batendo no casco do navio.
Pequenos arco-íris nas teias de aranha matinais.
Andar descalço sobre o orvalho.
Sapos em poças d’água.
O reflexo do céu de verão no lago.
A chuva batendo na janela de sua casa, tão segura.




ONDE QUER QUE VOCÊ VÁ


Haverá sempre novos começos quando você sai dos antigos caminhos conhecidos e já trilhados.
Sempre haverá dificuldades com as quais você jamais sonhou, momentos de dúvida e de medo mas também haverá assombros.
Um desvio no caminho e o mundo estará aos seus pés; outro, e você passará por uma ravina arborizada.
Ao longo do caminho haverá novas coisas a serem vistas, provadas, cheiradas e tocadas.
Esse será o caminho de sua escolha. Essa será sua felicidade, sua vida.
Meus pensamentos irão junto contigo.
Nem sempre os amigos estão presentes para fazer com que aconteçam coisas boas.
Porém, mesmo que você esteja sozinho em seu camelo no meio do Saara, ou navegando sozinho em meio a um vendaval no Atlântico Sul seus pensamentos e seus desejos de que lhe aconteçam coisas maravilhosas estarão contigo.
Pense nos amigos ao analisar a bússola ou reduzir a viagem.
Eles querem que você encontre a felicidade especial pela qual anseia.

Desejo-lhe felicidade, mas não a felicidade que se compra fechando-se para o mundo.
Nem a de renunciar ao sonho em troca do conforto.
Desejo-lhe a felicidade de fazer o que você quer, da melhor forma possível.
De arriscar-se a tentar de arriscar-se a doar de arriscar-se a amar.


Pam Brown


.
.

1 Comments:

Blogger belakbrilha diz...

Não tenho andado muito bem não!

Também lhe desejo tudo isso!

É algo sublime que todos nós ambicionamos!

bjinhos

5:41 AM  

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home

No amor, nem sempre são as faltas o que mais nos prejudica, mas sim a maneira como procedemos depois de as ter cometido. "Oví­dio"