Psy

"Só algumas pessoas escolhidas pela fatalidade do acaso provaram da liberdade esquiva e delicada da vida" "Sou como você me vê. Posso ser leve como uma brisa, ou forte como uma ventania, depende de quando e como você me vê passar" "Clarice Lispector"

18.12.06



Está apaixonada, e - incrédula - descobre que é correspondida.
Isso que parece hoje tão simplório olhado de fora dava-lhe um senso
de plenitude e poder que nunca mais conheceria.
Não precisava de mais nada.
Nem Deus pode tirar isso de mim, pensava.
Um inocente beijo diante da porta da casa, e o vestíbulo
transforma-se em céu.
Por muito tempo ficará transfigurada por essa intimidade.
Por mais experiências que venha a ter como mulher, o momento não
se repetirá, e dificilmente se apaga.
Nunca mais haverá uma primeira vez, nunca mais a mesma
candura de acreditar que tudo aquilo era eterno.



Foram-se os amores que tive ou me tiveram: partiram num cortejo silencioso e iluminado.
O tempo me ensinou a não acreditar demais na morte
nem desistir da vida: cultivo alegrias num jardim
onde estamos eu, os sonhos idos, os velhos amores e seus segredos.
E a esperança - que rebrilha
como pedrinhas de cores entre as raízes.

Texto: Lya Luft
Imagens: da Net

0 Comments:

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home

No amor, nem sempre são as faltas o que mais nos prejudica, mas sim a maneira como procedemos depois de as ter cometido. "Oví­dio"