Psy

"Só algumas pessoas escolhidas pela fatalidade do acaso provaram da liberdade esquiva e delicada da vida" "Sou como você me vê. Posso ser leve como uma brisa, ou forte como uma ventania, depende de quando e como você me vê passar" "Clarice Lispector"

19.6.07

Log Cabin, Blue Ridge Parkway, Virginia © SuperStock, Inc.

.

Talvez seja utopia, mas se eu não deixar que se embote a minha sensibilidade, quando envelhecer, em vez de estar ressequida eu terei chegado ao máximo exercício de meus afetos.

Tudo se complica porque trazemos nosso equipamento psíquico.

Nascemos do jeito que somos: algo em nós é imutável, nossa essência são paredes difíceis de escalar, fortes demais para admitir aberturas.

Essa batalha será a de toda a nossa existência. As ferramentas para executarmos a tarefa de viver podem ser precárias. Isso quer dizer: algumas pessoas nascem mais frágeis que outras.



Um bebê pode ser mais tristonho do que seu irmão mais vital. Não é uma sentença, mas um aviso da madrasta Natureza.



O meu diminuto jardim me ensina diariamente que há plantas que nascem fortes, outras malformadas; algumas são atingidas por doença ou fatalidade em plena juventude; outras na velhice retorcida ainda conseguem dar flor.

Essa mesma condição é a nossa, com uma diferença dramática: a gente pode pensar. Pode exercer uma relativa liberdade.



Dentro de certos limites, podemos intervir. Por isso, mais uma vez, somos responsáveis, também por nós. Somos no mínimo co-responsáveis pelo que fazemos com a bagagem que nos deram para esse trajeto entre nascer e morrer.



Carregamos muito peso inútil. Largamos no caminho objetos que poderiam ser preciosos e recolhemos inutilidades. Corremos sem parar até aquele fim temido, raramente nos sentamos para olhar em torno, avaliar o caminho, e modificar ou manter nosso projeto pessoal.

.

Lya Luft in Perdas e Ganhos

.

Khovsgol Nuur Lake, Mongolia © SuperStock, Inc.

2 Comments:

Blogger david santos diz...

Olá, Psy!
Tens aqui um grande trabalho! Espectacular!
Tem um contra e por culpa tua: está pouco divulgado.
Tens que correr mundo com o teu trabalho. Ele merece, garanto.
Espero começar a vê-lo espalhado por este mundo inteiro.
Parabéns.
Abraços.

7:35 PM  
Blogger Psy diz...

Obrigada, David.
Fico contente com seu carinho e atenção.
De fato, não tenho tido oportunidades para acessar a net.
Por enquanto, é isso que posso.
Em breve (espero), minha situação esteja mais favorável.
Desejo-lhe boa noite.
Beijos

6:02 PM  

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home

No amor, nem sempre são as faltas o que mais nos prejudica, mas sim a maneira como procedemos depois de as ter cometido. "Oví­dio"