Psy

"Só algumas pessoas escolhidas pela fatalidade do acaso provaram da liberdade esquiva e delicada da vida" "Sou como você me vê. Posso ser leve como uma brisa, ou forte como uma ventania, depende de quando e como você me vê passar" "Clarice Lispector"

27.5.08

União

.
.


Toda a vida (ainda das coisas que não têm vida)
não é mais do que uma união.
Uma união de pedras é edifício.
Uma união de tábuas é navio.
Uma união de homens é exército.
E sem esta união tudo perde o nome e mais o ser.
O edifício sem união é ruína.

O navio sem união é naufrágio.
O exército sem união é despojo.
Até o homem (cuja vida consiste
na união de alma e corpo)
com união é homem,
sem união é cadáver.
Por mais alta que esteja a cabeça,
se não está unida é pés.
Por mais ilustre que seja o ouro,
se não está unido é barro.
Nobreza desunida não pode ser,
porque, em sendo desunida,
logo deixa de ser nobreza,
logo é vileza.



Para derrubar um reino
e muitos reinos onde há desunião não
são necessárias baterias, não
são necessários canhões, não
são necessários trabucos, não
são necessários balas, nem pólvora:
Basta uma pedra: o lápis.





Para derrubar um reino,
e muitos reinos onde falta à união, não
são necessários exércitos, não
são necessárias campanhas, não
são necessárias batalhas, não
são necessários cavalos, não
são necessários homens,
nem um homem, nem um braço,
nem uma mão: sine manibus.



Não temos muito boas mãos e o sabem muito bem
nossos competidores, mas se não tivermos união,
nem eles haverão mister mãos para nós.
Nem a nós nos hão de valer as nossas.


Trechos do Sermão do Santíssimo Sacramento,

pregado pelo Padre Antônio Vieira (1608-1697),

em Santa Engrácia, no ano de 1662




“Solidários, seremos união.
Separados uns dos outros
seremos pontos de vista.
Juntos, alcançaremos a
realização de nossos propósitos.”

Bezerra de Menezes


.
.

0 Comments:

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home

No amor, nem sempre são as faltas o que mais nos prejudica, mas sim a maneira como procedemos depois de as ter cometido. "Oví­dio"